Entre na Luta Pela Família Tradicional

Tenho informado às queridas Igrejas dos riscos que o povo cristão corre diante de uma política perversa e ideológica que vem sendo construída pelo Governo Federal. Isto vem ocorrendo por meio do Estatuto da Diversidade Sexual, do famigerado PL 122, do Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH) e do Plano Nacional de Educação (PNE) – que estabelece os alicerces a serem adotados nos âmbitos nacional, estadual, distrital e municipal.

Graças a Deus que à cada dia, mais Igrejas, mais pastores, mais lideranças religiosas tem se levantada para mostrar à sociedade o que está por trás destas propostas, principalmente a inserção da Ideologia de Gênero no Plano Nacional de educação, que tem como objetivo final a abolição da família. E o pastor Samuel trata este tema com muita sabedoria em artigo que se identifica em gênero e número com a posição que temos tomado como deputado estadual, de defesa intransigente da instituição familiar, pai, mãe e filhos. Esta tem sido a nossa bandeira.

Razão porque tomo a liberdade de anexar abaixo para sua reflexão, o artigo do pastor Samuel. Reiteramos que continue orando por nosso mandato, pelo nosso futuro político e que a vontade de Deus prevaleça no cumprimento do Seu propósito para a nossa vida pública.

___________________________________________________________________________________________________________________________

ENTRE NA LUTA PELA FAMÍLIA TRADICIONAL
Samuel Malafaia*

“Portanto deixará o varão o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.” (GN 2.24)

Estamos no início de um novo ano e, em todo país, uma questão importante deve merecer a participação das famílias e cidadãos em todos os estados da Federação. Com a justificativa de que a “família está mudando” e de que, hoje em dia “é formada por diferentes núcleos de convívio”, as escolas estão acabando com a comemoração do Dia das Mães e o dos Pais.
No estado do Rio de Janeiro, tanto quanto em São Paulo, não são poucas as unidades educacionais que já instituíram os tais Dia dos Cuidadores e “o dia de quem cuida de mim”, mesmo sob indignação dos pais, e o pior, sem nenhuma consulta sobre a opinião deles. Argumentam que buscam “integrar crianças órfãs ou criadas por parentes ou por casais homossexuais”, que se sentem excluídas nessa data.

Na realidade, estão querendo transformar a família tradicional com pai, mãe e filhos em coisa ultrapassada. Estão realizando uma paulatina desvalorização da família. Por exemplo, veja que diz um dos artigos do fatídico Estatuto da Diversidade Sexual, em âmbito federal, defendido por alguns ministros: Art. 32 – Nos registros de nascimento e em todos os demais documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título de eleitor, passaporte, carteira de habilitação, não haverá menção às expressões “pai” e “mãe”, que devem ser substituídas por “filiação”.

A família é a base de tudo, é uma instituição que deve ser fortalecida. Famílias desestruturadas significam problemas para a sociedade. Infelizmente, vemos uma total inversão de valores, e isto, sem dúvida, contribui para prejudicar o desenvolvimento de crianças, jovens e adolescentes, que precisam do exemplo paterno e materno, da base familiar que favorece um crescimento sadio, que os leva a se tornarem cidadãos do bem.

Para ajudar a combater essa situação, apresentei na Alerj projetos de lei que inserem no Calendário Oficial do Estado do Rio de Janeiro o Dia das Mães e o Dia dos Pais. As propostas, que ainda irão à votação, embora não impeçam a realização das “novas comemorações“, garantirão que sejam mantidas a tradicional comemoração mundial.

O governo deve proteger a família e tem a responsabilidade de não permitir que a educação brasileira fique à mercê de ideologia políticas, nem que partidarize o ensino, evitando que, através do discurso da igualdade de direitos, a sociedade perca valores fundamentais, que levam à desagregação familiar.

Faça a sua parte, discuta o assunto na escola de seus filhos e informe aos diretores e professores sobre a sua opinião. Não deixe que acabem nas escolas com a figura do pai e da mãe. A família é um projeto de Deus!

*Samuel Malafaia é Pastor, Professor de Teologia, Engenheiro e Deputado Estadual – RJ.

Deixe um Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>